sábado, 18 de outubro de 2014

Callos à Galega

Minha pesquisa sobre feijoadas indica claramente que o prato tem sua origem nos cozidos da península ibérica, particularmente em Portugal onde são encontradas inúmeras versões com diversos tipos de feijão e carnes. A Espanha também participa com algumas versões de cozidos como o Callos a Galega.


A Casa de Espanha do Rio de Janeiro foi fundada em 27 de março de 1983 através da fusão entre o clube espanhol de Rio de Janeiro, fundado em 1951 e a Casa de Galicia fundada em 1947. Nas instalações deste agradável clube no bairro do Humaitá com visto para o Redentor encontramos a Taberna O Emigrante.


A taberna tem ambiente intimista, quase medieval, colada na encosta do morro onde foi construída. No comando da cozinha o Chef Hortêncio há 11 anos serve a tradicional gastronomia espanhola.


Iniciamos nosso percurso nos deliciando com tapas de jamon serrano, revilla, empanada de bacalhau, pimentão picante, torradas de cebola e pão que nunca pode faltar numa verdadeira mesa espanhola.

Na sequência chega à mesa o Callos a Galega, o cozido de grão de bico, chouriço, costelinha de porco, bucho, mocotó e tempero segredo de chef. 


Apesar de não comer as carnes gordas da feijoada acho que são essenciais para conferir o sabor ao feijão.

O mesmo princípio se aplica aqui. Dispensei o bucho e o mocotó e caí dentro do grão de bico com o chouriço, a costelinha e o delicioso caldo para deixar o arroz branco bem molhadinho. Uma delícia ! 

O prato serve 2 pessoas. Levamos uma quentinha com o que sobrou e a promessa de incrementar grão de bico e linguiças para um típico prato Lavoisier. Afinal, nesta vida nada se cria, nada se perde, tudo se transforma !

O melhor de tudo é que não precisa ser sócio para frequentar a taberna, basta chegar que será bienvenido !



Serviço:
Rua Maria Eugenia, 300 - Humaitá
Tel 21 2536-3150 Extensão Bar
Diariamente das 12 às 24h

http://www.casadeespanha.com.br/


R$ 18, Tapas variadas
R$ 38, Callos à Galega (serve 2 pessoas)
R$ 9,   Cerveja Original

domingo, 12 de outubro de 2014

Bolinho e Bolacha

Subimos para Santa Teresa para unir gastronomia e cultura.

Santa Bolacha é o nome de um evento realizado esporadicamente no bairro para reunir amantes da música e do vinil no Largo das Neves onde o bonde faz(ia) a curva.



Chegamos na hora indicada no jornal e logo que percebemos não ia acontecer no horário seguimos os trilhos até o Bar do Gomez, bastião da galera descolada do bairro.

O expansionismo das pequenas e grandes redes de supermercado nos anos 70 levou a cabo este armazém fundado em 1919 pelo espanhol Garcia. 

A vocação para o servir permaneceu forte na família após várias gerações e seu sobrinho Gomez passa então a encantar os fregueses com suas estórias da terra natal, encontrando outro nicho de mercado quando o armazém passou para a categoria botequim.

Os belíssimos móveis de época ainda emolduram o ambiente deste empório que abastecia com produtos finos as famílias tradicionais do bairro de Santa Teresa.

Uma verdadeira viagem ao passado para desfrutar em boa companhia.



Cerveja gelada na mesa, pedimos a porção de bolinhos mistos com duas unidades de bolinho de feijão preto com carne seca, de feijão branco com linguiça calabresa e abóbora com carne seca.


Pedida certeira, os saborosos bolinhos abriram o nosso apetite para uma segunda fase.

Para ilustrar o blog elegemos também as trouxinhas de carne de porco em formato de cenourinhas, servidas em porção de 9 unidades e acompanhadas de geléia de pimenta. Uma lástima ! A ausência de personalidade no recheio indicava apenas que poderia ser de qualquer tipo de carne processada.


Era hora de partir ! Voltamos ao Largo das Neves onde a festa Santa Bolacha homenageava o vinil com músicas que dificilmente vc encontra nas pistas da cidade. Para saber o próximo evento acompanhe a página da festa no Face.


Serviço:
Bar do Gomez ou Armazém São Thiago
Rua Áurea, 26 - Santa Teresa
Tel 21
www.armazemsaothiago.com.br

R$  9,00 cerveja Original em garrafa
R$ 34,00 a porção de bolinho misto
R$ 32,50 a porção de cenouriha de porco com geléia de pimenta



Santa Bolacha
https://www.facebook.com/events/1505380239696518/?fref=ts

Discotecários:
Dj Montano ( Analógico Imaginário, Ziriguimundi e Tropicana )
Dj Tuta ( Vinil é Arte e Analógico Imaginário)
Dj Zod ( Santa Levada )
Dj Tataogan ( Da Raiz ao Chip, Vitrolinha e Tomba Orquestra )

Djs convidados:
Jada e Lucas Porto ( Coletivo Quermesse)
Alexandre Almeida ( Coletivo Amo Vinil )

domingo, 28 de setembro de 2014

Fé e Feijoada

Fé e Feijoada andam juntos de mãos dadas. Roda de samba que se preze ostenta a imagem do Santo Guerreiro na mesa.


A Feijoadinha do Beto Neves fez neste domingo a sua saideira devido à mudança de endereço. O evento é programado em datas comemorativas no galpão da Complexo B, marca conhecida pelas coleções de temas cariocas e orixás, tendo São Jorge como seu maior representante.

Durante o evento a loja fica aberta com mega descontos para aproveitar enquanto neste domingo a roda do Batuque na Cozinha animava os convidados a cair no sambinha, na caipirinha e na feijoadinha.

 


A campanha Eu Tenho Fé é uma reivindicação do Beto pela tragédia que acometeu sua família no ano passado. 

Ter fé é superar os desafios que a vida nos apresenta constantemente e dar a volta por cima. É acreditar numa força suprema que nos guia e oferece suporte para todas as provas e expiações.

Beto, para sempre São Jorge !

Linete, para sempre Sorriso !


Serviço:
Feijoadinha Complexo B
https://www.facebook.com/complexob

R$ 10, o prato de feijoada


sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Pipo

Nem boteco muito menos pé-limpo. Auto denominado boteco de vanguarda, o Pipo é com certeza um tipo de bistrot clean com menu moderninho instalado no pedaço mais charmoso do Leblon.


Fui atraído instintivamente pela foto do caldinho de feijoada publicada no especial Rio Gastronomia 2014. A foto não desmente o produto muito menos o texto a sua descrição. É para saborear cada colherada agradecendo a Deus por podermos perceber no paladar a sutileza o sabor do feijão na montagem com espuma de couve mineira.


Fomos conhecer no pós-praia, afinal comida de boteco é perfeita nesta ocasião. 

Em sendo dia da Cachaça, homenageamos a purinha degustando os drinks da casa Caju Amigo feito com caju confit, suco de caju e gengibre e CaipiPipo com limões, rapadura, especiarias.



Pipo é o diminutivo de Felipe, o aclamado e premiado chefe Felipe Bronze, reconhecido pelas suas experiências moleculares. Assim como o nome da casa os petiscos são diminutos em tamanho o que nos levou a fazer várias provas.

Passamos pela barriga de porco caramelizada no gengibre e tucupi que vem a ser um quase torresmo do tipo macio e chega à mesa montada em formato de sushi com arroz e alface.

Pedimos ainda a porção de aipim frito pela curiosidade da espuma de queijo de coalho que o acompanha e acredite, vc vai querer repetir a experiência.

Finalizamos com o Ostrix que são dois mini-hamburgueres de ostra ! Leve, saboroso, sutil, é servido em pão de milho com recheio de ostras empanadas, molho de maionese de ostra, limão-siciliano confit e cebola roxa.



Moral da história: o Pipo é um botequim chic para momentos agradáveis, com relação custo x benefício honesta para a proposta mas que deve ser evitado em momentos de muuuuita fome ! 

Fosse eu abonado financeiramente, bateria ponto fácil por lá.

Pretendo voltar ? Claro ! Ainda falta provar entre outras delícias, a versão do chef com barriga de porco para o clássico sanduíche do Cervantes e o bolinho Croc de porco.


Serviço:
Pipo
Rua Dias Ferreira, 64 - Leblon
Tel 21 2239-9322
http://www.piporestaurante.com/

R$  9, o caldinho de feijoada com espuma de couve
R$ 15, o aipim frito com espuma de queijo de coalho
R$ 29, a dupla de brioches de ostras crocantes
R$ 27, o porquinho laqueado no gengibre e tucupi

R$ 19, a CaipiPipo
R$ 20, o Caju Amigo