sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Roteiro do finde

Vai de feijoada neste final de semana ? Segue algumas dicas:

Sábado na Estação Primeira de Mangueira
https://www.facebook.com/events/513297375686764

Sábado no Baródromo da Lapa
https://www.facebook.com/events/1623266497736547

Sábado no Lapa 40 Graus
https://www.facebook.com/events/2003423806569552

Sábado na Laje do Neguinho no Vidigal
https://www.facebook.com/events/120564685301154

Sábado feijoada vegana no Gaia (Leme) com Flor de Samba
https://www.facebook.com/events/1733663513596744

Sábado na quadra da Renascer (Jacarepaguá) com as musas
https://www.facebook.com/events/145049626014334

Domingo no Beco do Rato (Lapa) com Galocantô
https://www.facebook.com/events/1859312941065535

Domingo no Cacique de Ramos
https://www.facebook.com/events/1718574091782373

Domingo na quadra dos Bohêmios de Irajá
https://www.facebook.com/events/896368273849582

Domingo no Barzin (Ipanema) com samba de raiz
https://www.facebook.com/events/1960843437522042

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Xian, o porquinho oriental

O Rio acaba de ganhar um presentão ! Criado com vocação para point da cidade o restaurante Xian é o mais novo empreendimento do grupo de restaurantes de Marcelo Torres. Não tem feijoada e então apelei para o fiel porquinho a fim de compartilhar com vc esta maravilha de cenário e gastronomia.


O menu é oriental como o nome indica e conta também com opções de grelhados bem brasileiros para agradar a todos. Agradar aliás, é a especialidade do restaurante com equipe simpática e sorridente.

O projeto arquitetônico requintado sem ser esnobe acolhe na entrada o bar de alta coquetelaria e lago de carpas. Longos corredores passam pela cozinha do tipo aquário de um lado e lounges avarandados e climatizados do outro até o salão principal em três níveis permitindo a todos contemplar a incomparável vista do Pão de Açúcar ao Redentor.

 
 
 

Um segundo bar na varanda promete ser disputado a tapa e curtido a muitos beijos para o por do sol. Peça ao chef de bar Maurício uma caipirinha de jabuticabas e ele ficará feliz em colhê-las ali mesmo na "horta" da varanda.

 
 

O restaurante abriu há duas semanas sem pompa nem circunstância. Aliás, é bom avisar de cara que os preços são bem razoáveis afinal não deve ser fácil vender 250 lugares nem mesmo quando a economia está equilibrada.

Não tem couvert. Enquanto Decide são as opções disponíveis no menu que vc pode e deve juntar com Para Começar.

Escolhemos Edamame com furikaki e flor de sal, Tataki de atum com farofa panko, creme de abacate e wasabi e Pop Pig, o lombo de porco empanado servido com molho agridoce, abacaxi, lâminas de amêndoas e tomatinhos cereja.

 
 

Sou fã de edamame, grão de soja verde com sabor particular. O atum estava perfeito mas foi o porquinho em forma de pipoca que tocou no emocional e me fez lembrar do restaurante chinês do Jorge na Rua João Lira no Leblon, onde meu pai costumava me levar na infância. Só faltou o alloz cololido !

Para Finalizar pedimos o Super Secret Pork Ribs, costelinhas de porco marinadas no missô branco, sakê, especiarias acompanhado de farofa da casa e tomates confit e o Furai de mignon empanado com panko, molho tonkatsu e salada de batatas. O porquinho derrete de comer com colher !

 

Bolo Xian de chocolate morno recheado de brigadeiro meio amargo e creme inglês para encerrar e até breve, no por do sol, é claro !

 

Serviço:
Xian
Av. Almirante Silvio de Noronha, 365 - Rooftop, Bossa Nova Mall
Tel 21 23037080

R$ 26, Edamame
R$ 36, Tataki de atum
R$ 48, Pop Pig
R$ 65, Super Secret Pork Ribs
R$ 48, Furai de filé
R$ 22, Bolo Xian

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Roteiro da semana

Este finde promete com feijoadas para todos os gostos ! Chega junto e bom proveito !!!

Sábado em Paquetá !
https://www.facebook.com/events/202777086929228

Sábado na Barra com Milton Cunha e Banda Amigos da Barra !
https://www.facebook.com/events/136596463629123

Sábado com roda de samba na Laje do Neguinho no Vidigal !
https://www.facebook.com/events/265205580652956

Sábado com Vizinha Faladeira e Grande Rio no Centro !
https://www.facebook.com/events/130881897656088

Sábado na Lapa com o Bola Preta !
https://www.facebook.com/events/789938984542962

Domingo na Tijuca !
https://www.facebook.com/events/136579417085092

Domingo com Diogo Nogueira na Mocidade Independente de Padre Miguel !
https://www.facebook.com/events/119216652082538

Domingo na Tijuca com a Banda do Largo da 2a Feira !
https://www.facebook.com/events/445123019221168

Domingo no Cosme Velho com Arruda e Samba de Lei !
https://www.facebook.com/events/1451037938305132

Domingo light com feijoada vegana no Alto da Boa Vista !
https://www.facebook.com/events/424154691319902

Domingo em Ipanema com samba de raiz !
https://www.facebook.com/events/1948153361868332

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Zécutivo

Presente no dia a dia de milhões de brasileiros, o PF, abreviatura para prato feito, também é chamado de executivo dependendo do ambiente frequentado. Neste post lhe apresentaremos o Zécutivo.


A brincadeira sonora veio da irrequieta Katita para seu novo sucesso, o boteco Kalango na região da Praça da Bandeira e vencedor na categoria Bom e Barato da edição 2017 de Veja Rio Comer & Beber.

 
 

O inventivo cardápio associa a culinária nordestina que vem das raízes dos sócios do bar e vão ao encontro da simplicidade dos sabores típicos em versões autorais.

Começamos extremamente bem com caipirinha de caju acompanhada do hilário hot bode, a versão do boteco para o clássico internacional, agora com linguiça de cordeiro e pesto de hortelã montado no pão de leite. Uma "formusura" !

 

Na sequência passamos para o pastel de bobó de camarão que decepcionou tanto na massa quanto no recheio e aqui vale a pena comentar que o preço do petisco não é tão popular assim.

 

Passamos então para o desejado Zécutivo que neste dia tinha como opção a costelinha suína com feijão de corda e cuscuz de milho. Porquinho e feijão juntos, meu post estava garantido. O serviço abre com um caldinho do dia na versão jerimun para então apresentar o Zé do dia montado em prato de ágata estilo retirante chic. Estava ok mas faltou personalidade para encantar.

 

Para finalizar um belo serviço de café coado na sua frente e muito bem acompanhado pelos doces de tabuleiro do ambulante que tinha feito uma parada na esquina para vender as receitas de sua tia.

 

As ruas internas e de pouco tráfego dos arredores compostas quase que na totalidade por antigas casas dão o clima de interior do programa.

Serviço:
Kalango
Rua Joaquim Palhares, 513 - Praça da Bandeira
Tel 21 2504-0088

R$ 25, o Zécutivo (segunda à sexta feira apenas no almoço)
R$ 16, o hot bode
R$ 10, o pastel de bobó
R$ 15, a caipirinha de cachaça artesanal
R$ 10, a cerveja em ampola



segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Gastrobeer

O carioca aderiu com força aos eventos gastronômicos de rua que pululam por toda a cidade e aproveitando a temperatura amena fomos conhecer o Gastrobeer já na 12a edição.


O modelo é o de sempre: comida, bebida e música. Tudo com qualidade. O diferencial está no entorno sensacional da Quinta da Boa Vista como um atrativo à parte. Famílias reunidas em picnics por todo lado. Crianças brincando. Bicicletas e skates. Vale tudo para se divertir. Até pedalinho no lago tem.

 

Na chegada avistamos uma churrasqueira fumegando burgers suínos da Victorian Top Secret que prometiam sucesso total. Não havia fila e compramos. Estávamos em grupo e nossos amigos foram passear pela feira.

48 minutos cravaram entre o pagamento e a entrega, no meu entender, uma total ausência de percepção do negócio e respeito ao consumidor. O combinado não sai caro portanto bastava informar o tempo de espera e sugerir pegarmos um chopp nas barracas vizinhas.

Obviamente a nossa expectativa não foi atendida o suficiente para abalar a avaliação da experiência.

Moral da estória: não valeu a pena a espera.

 

Passamos por uma barraca vendendo bolinhos de feijão com recheios diversos que esperamos encontrar numa oportunidade muito breve para degustar.

 

Se beber não dirija. O acesso é super fácil via metrô São Cristóvão, bastando atravessar a passarela em direção à Quinta.

Dá também para combinar a feira por exemplo com a visita ao Museu Nacional de História Natural criado por Dom João VI e que completará 200 anos em 2018 ou com o Jardim Zoológico para "dar pipoca aos macacos" como dizia Raul quando ainda era permitido alimentar os animais.


Para saber a próxima edição da feira acompanhe nas redes sociais e site.

Serviço:
Gastrobeer
https://www.gastrobeerrio.com.br/

Museu Nacional
http://www.museunacional.ufrj.br/

Rio Zoo
http://prefeitura.rio/web/riozoo

sábado, 16 de setembro de 2017

Vila St-Gallen

Neste fim de semana fomos passear na Europa. Conhecemos o processo de fabricação de cerveja conforme sua origem no mais antigo convento suíço e visitamos uma vila onde almoçamos Eisbein, o tradicional joelho de porco. Tudo isto bem pertinho do Rio.

 

Numa sacada genial de branding a cervejaria Theresópolis criou uma vila temática com foco na sua linha de produtos. Localizada no bairro do Alto logo após a entrada na cidade, de fácil acesso de carro ou ônibus, a Vila St-Gallen é um parque de diversões para os amantes da cerveja. O clima começa no acesso pela taberna com visão para os tanques de produção.

 
 

A visita deve ser agendada pois as vagas são limitadas. O anfitrião e sommelier de cervejas Pedro é um showman que logo no início cria um link com os participantes do Bier Tour. Após o detalhamento do processo de produção com demonstração de lúpulos e cereais o grupo passa para uma sala anexa onde tem início a degustação. É neste momento que vc testa seus conhecimentos, seu nariz e paladar para a  harmonização das cervejas.

 

Pedro explica então que as harmonizações em geral são por corte (quando, por exemplo, os elementos da bebida, como amargor, “quebram” a gordura presente no prato, limpando o paladar para a nova garfada), contraste (quando as características diferentes entre o prato e a cerveja acabam por valorizar ambos, por compensação), e semelhança (quando prato e cerveja possuem elementos sensoriais que se assemelham e se complementam).

Tudo de forma simpática para que todos tenham a oportunidade de aprender um pouco mais sobre o mundo de cervejas que recentemente vem se abrindo aos brasileiros. 

 
 

Ao final vc fica com gostinho de quero mais, e é hora de escolher um café ou chocolate na Kaffee Haus ou as delícias do menu da Brewhouse.

Preferimos focar no Eisbein, prato típico dos países de língua germânica, que por lá é servido cozido e aqui ganha a versão frita com aquela casquinha que a gente adora, acompanhado de salada de batatas à perfeição e chucrute.

 

A cidade original de St-Gallen fica na Suíça e cresceu no entorno do mosteiro beneditino do século 8 e pioneiro na produção de cerveja na Europa. Sua biblioteca é reconhecida como uma das mais ricas e antigas do mundo, dispondo da maior coleção de livros do início da Idade Média, na parte germânica da Europa. Contém cerca de 160 mil livros dos quais 2.200 são manuscritos e 500 têm mais de mil anos.

Teresópolis tem muitos outros encantos e vale apena passar ao menos duas noites para conhecer o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, visitar o orquidário Arabotanica, passear pela Rota Terê-Friburgo e comprar presentes na Feirinha do Alto.

Minha dica de hospedagem fica a 5 minutos a pé do Vila St-Gallen no belo prédio do Higino em estilo germânico e que abrigou um famoso cassino nos anos dourados.


Nosso agradecimento ao gentil convite para conhecer o Bier Tour feito pela Cristina, gestora do complexo.

Serviço:

Vila St-Gallen
Rua Augusto do Amaral Peixoto, 166, Bairro do Alto, Teresópolis, RJ
Tel (21) 2642-1575

R$ 70, o Bier Tour com as harmonizações

http://vilastgallen.com.br/
http://www.cervejatherezopolis.com.br/

Hospedagem no Higino
Avenida Oliveira Botelho, 365, Bairro do Alto

R$ 120 a 140 a diária para até 4 pessoas

https://www.airbnb.com.br/rooms/16345382

Um pouco de História...

Na Idade Média a produção e consumo de cerveja tiveram um grande impulso, muito por causa da influência dos mosteiros, locais onde este produto era não só tecnicamente melhorado, como também produzido e vendido. Naquela altura, os mosteiros seriam algo semelhantes a um hotel para viajantes, oferecendo abrigo, comida e bebida a peregrinos.

Também neste período se manteve o hábito de produzir cerveja em casa, sendo que essa tarefa continuava maioritariamente entregue às mulheres. Sendo elas as cozinheiras, tinham igualmente a responsabilidade da produção de cerveja, que era vista como uma “comida-líquida”. Em certas zonas, a cerveja chegou mesmo a ser mais popular do que a água já que, como é sabido, a Idade Média era uma época onde as práticas sanitárias eram muito más, pelo que se tornava mais seguro beber cerveja do que água. De fato, o processo de fabricação fazia com que muitas das impurezas fossem filtradas pelo que quem pudesse fazer a troca de água por cerveja raramente hesitava.

Nos mosteiros, as técnicas de fabricação iam sendo desenvolvidas, em busca de uma cerveja mais agradável ao palato e mais nutritiva. A importância da qualidade alimentar da cerveja era algo de relevante para os monges, dado que era um produto que os ajudava a passar os difíceis dias de jejum.

Esses períodos caracterizavam-se pela abstinência dos monges em termos de comida sólida, mas nada os impedia de ingerir líquidos. Há relatos de monges que foram autorizados a beber até 5 litros de cerveja por dia. Isso só os incentivou a produzir mais e melhor cerveja, chegando ao ponto de se criarem pequenas tabernas nos mosteiros onde era cobrada uma pequena taxa para que as pessoas pudessem experimentar a cerveja de alta qualidade que ali se produzia. 

Em termos técnicos, os monges deram uma maior importância ao uso do lúpulo, substância que tornava as cervejas mais frescas devido ao seu amargor natural e que, por outro lado, as ajudava a conservar. Ao dosearem a quantidade de malte e lúpulo, passaram a produzir uma cerveja com pouco álcool para consumo diário e uma cerveja mais pesada e alcoólica para ocasiões festivas. 

Uma contribuição fundamental da produção cervejeira monástica foi o emprego de algumas sementes, como o mirto de Brabante e o gruyt (ou gruut) - mistura de ervas aromáticas - que também atuavam como bons conservantes da cerveja. 

Esta indústria teve tal sucesso que chamou a atenção dos nobres e soberanos, que passaram a cobrar pesadas taxas sobre a venda deste produto. Em certas zonas, chegou-se ao ponto de só ser permitida a produção de cerveja mediante autorização régia, envolvendo isso, claro está, o pagamento de uma determinada quantia. 

Infelizmente, esta ganância levou ao encerramento de muitas tabernas de abadias e mosteiros, que não conseguiram acompanhar as elevadas taxas que lhes eram impostas. 

Os conventos mais antigos a iniciarem a produção de cerveja foram os de St. Gallen, na Suíça, e os alemães St. Emmeran e Weihenstephan, sendo este o primeiro a receber oficialmente a autorização profissional para fabricação e venda da cerveja, em 1040 d.C, e portanto a cervejaria mais antiga do mundo ainda em funcionamento. 

http://www.cervejasdomundo.com/EraMedieval.htm